(11) 4118-3094
 - Escritório
(11) 98130-9665
 - Celular
Notícias
ENGENHARIA
20 / Mar / 2018

União entre Suzano e Fibria forma a quinta maior empresa do Brasil

Nova companhia terá 11 unidades industriais, clientes em 90 países e R$ 18 bi em exportações

TAÍS HIRATA SÃO PAULO, SP - A fusão entre as empresas de celulose Suzano e Fibria criará uma gigante brasileira com um valor total de R$ 83 bilhões  o que a torna a quinta maior companhia não financeira do Brasil, atrás apenas de Petrobras, Ambev, Vale e Telefônica, segundo dados da Bloomberg.

"Será também a maior empresa de agronegócio do Brasil. [A empresa] tem uma competitividade difícil de ser replicada no futuro", afirmou o presidente da Suzano Papel e Celulose, Walter Schalka, nesta sexta (16), em São Paulo. Juntas, as companhias tomam uma proporção enorme: são 11 unidades industriais; uma capacidade de produção de 11 milhões de toneladas de celulose; exportações anuais de R$ 18 bilhões e uma base de clientes em 90 países. A projeção de investimentos para este ano das duas empresas é de R$ 6,4 bilhões.

A operação, divulgada na noite de quinta (15), consolida o Brasil como líder global no mercado de celulose de fibra curta cujos custos de produção são mais atrativos que o mercado de fibra longa, típico do hemisfério norte. Para fechar o negócio, a Suzano teve que desbancar a indonésia Paper Excellence, que no ano passado comprou das mãos da J&F a fabricante de celulose Eldorado. Nos últimos dias, a estrangeira tinha feito uma oferta superior à da Suzano.

GIGANTE DO PAPEL

Conheça o perfil das duas empresas que formam a líder mundial de papel e celulose

 

Suzano Papel e Celulose

Fibria

Mercado

Segunda maior produtora de celulose de eucalipto e quinta maior produtora de celulose do mundo

Líder mundial na produção de celulose e eucalipto

Produção

5,1 milhões de toneladas de papel e celulose (Estimativa para 2018)

7,25 milhões de toneladas de celulose por ano (capacidade produtiva)

Funcionários

19 mil entre empregados e terceiros

17 mil

Fábricas

5, Imperatriz (MA), Suzano (SP), Rio Verde (SP), Mucuri (BA), Limeira (SP)

6, Jacareí (SP), Araracruz (ES), Veracel (SP), Fortaleza (CE), Belém (PA), Três Lagoas (MS)

Lucro líquido (2017)

R$ 1,8 bilhão

R$ 1,093 bilhão

Receita líquida (2017)

R$ 10,52 bilhões

R$ 11,739 bilhões

Participação

36% na produção brasileira de papel para imprimir, escrever e papel cartão

35 são os países para onde exporta celulose

Fontes: Empresas e Pöyri Consultoria 

Na avaliação de um analista do setor de celulose que preferiu não se identificar, a formação de uma empresa brasileira mais robusta não deixa de ser uma defesa contra um possível avanço de estrangeiros na produção de celulose brasileira, que é a mais competitiva do mundo. Questionado sobre a proposta da Paper, o presidente do BNDES (que detém 29% da Fibria), Paulo Rabello de Castro, afirmou que a oferta da estrangeira havia sido apenas uma "manifestação de interesse" e que o fechamento do negócio não teria sido uma confrontação das propostas. O acordo é que a Suzano Papel e Celulose comprará todos os papeis da Fibria os acionistas da empresa receberão em dinheiro (R$ 52,5 por ação) e uma participação na nova companhia (a cada papel na Fibria, receberão o equivalente a 0,461 de uma ação da Suzano).

Para Rabello de Castro, a operação "não torna ninguém campeão nacional, mas torna a todos nós gigantes" em referência à política do governo petista que ajudou empresas como a JBS. Segundo ele, a venda faz parte da estratégia do banco para se capitalizar, e ao menos R$ 5 bilhões dos R$ 8,5 bilhões que irá embolsar serão reinvestidos em startups.

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/03/uniao-entre-suzano-e-fibria-forma-a-quinta-maior-empresa-do-brasil.shtml

Taís Hirata

Comente essa publicação